Lista da mudança – pra você que está mudando ou sabe que esse dia infernal vai chegar

Lista da mudança – pra você que está mudando ou sabe que esse dia infernal vai chegar

Ser perseguida por um golfinho assassino da Ucrânia, enquanto pula sete ondas, e pegar o Tiririca, podem parecer algumas das coisas mais horríveis que você já ouviu falar nos últimos tempos. Mas, só uma delas se compara ao terror que é a existência do pastor Marco Feliciano, na Terra: mudar de casa.

Esse drama da vida adulta me assombrou desde dezembro, quando comecei a procurar um novo lar. Achei que em uma semana estaria linda, em uma sala com portas de vidro para jardins com palmeiras e flamingos, mas não foi nada disso! O drama se estendeu por mais de três meses… TRÊS MESES!

Enquanto escrevo esta coluna, dou paradas imensas para organizar caixas com revistas que nunca li e sapatos que nem lembrava que tinha. E o pior (ou melhor), desta vez fiz tudo sozinha, toda a mudança, todo o planejamento, todas as decisões. Uau, que adulto!
Fui atrás de apê, reconheci firma trezentas vezes, pedi documentos para fiador, tratei com advogados, pintores, marceneiros, corretores demoníacos e vendedores de tapete. Só para citar alguns. O resultado são essas dicas maravilhosas, para você que está passando por uma fase difícil não se sentir sozinha. Digamos que, pelo menos, mãe Janessa está ao seu lado! Só não me chame para colocar seus livros em caixas, porque se tiver que fazer isso mais um dia da minha vida, acho que morrerei.

A decisão!

Decidiu mudar? Então, tenha tempo livre e coloque seu tênis mais confortável. Por algum motivo misterioso, os sites de imobiliárias no Brasil vivem na era da internet discada. Ou não têm informação nenhum nas buscas, ou têm uma informação xucra, com micro fotos péssimas (quando têm). É quase impossível fazer uma primeira pesquisa antes de sair para bater perna. O processo é o contrário: você vai bater perna, anota as placas e imobiliárias e então começa a ligar para elas para saber dos prédios que gostou e se pode visitar os apartamentos. Então, numa dessas, você já perdeu 12 anos de vida – mas é assim mesmo, porque achar um apê dura 37 anos mais ou menos.

Os muquifos

Saiba que na sua busca sofrida e demorada, alguns corretores demoníacos e mal encarados (quando não truqueiros) vão tentar te empurrar os lugares mais absurdos e tenebrosos, daqueles que você nem imaginava que existiam na sua cidade. Na minha peregrinação bizarra por um apê, visitei locais com salas que tinham janelas para um vão, dando vista para todas as outras janelas das salas dos prédios vizinhos (tipo ver TV, enquanto seu vizinho vê TV, olhando pra sua cara). Visitei até um ex-centro de macumba, que estava para alugar como residencial, mas precisava de algumas reformas por causa dos quartinhos de sacrifícios (sério).
Documentos infinitos

Alugar uma casa te faz descobrir que não sabe nada da vida, porque tem documentos seus, sobre você, sobre suas posses, sobre seu tio, que jamais imaginou que existiriam. São 190 mil documentos exigidos, mais seu extrato de muitos meses, que te faz se sentir mal e ter vergonha de gastar tudo em rodízio japonês (logo que imprime, promete nunca mais fazer isso e no dia seguinte vai de novo). Esses documentos demoram para sair, pois dependem de contadores, escritórios, cartórios e da boa vontade de todos. Enquanto isso, corretores te ameaçam dizendo que a fila para o apê está enorme e, que se demorar demais, você vai perder. Te tratam como se você fosse uma preguiçosa porque não conseguiu resolver tudo em um dia (alguém consegue resolver mais que três coisas em um dia trabalhando?). Quando você finalmente reúne 300 paginas de papel e leva, dizem que faltam mais 45 itens surpresa. Pois é.

Telefone pesadelo

Eu odeio telefone mais que tudo e, em uma rápida pesquisa no Facebook, descobri que quase todo mundo odeia (só meus amigos @cafremder e @alvaroleme gostam), mas para conseguir um lar, você precisa passar 23 horas por dia no telefone. Ligando em imobiliárias, tratando com corretores por tel, ligando para seu fiador e lembrando ele de te mandar 7 mil documentos com urgência, ligando pra perguntar se ele mandou, ligando pra pintores, faxineiras, empresas que limpam apê pré-mudança, marceneiros, tios que desmontam guarda-roupa por preço amigo, tio que faz carreto, loja de sofá, loja que vende geladeira, sua mãe (pra ligar chorando todo dia dizendo “eu não aguentooo maaaais mãeeee) e, se você tiver sorte, um psicólogo. A barra é pesada. Pra piorar só um pouco, saiba que todos eles te responderão em muitas outras ligações, deixando recados na sua caixa postal e te enlouquecendo mais ainda.
Protocolos, até quando?

Em todas as milhões de ligações que fizer, a pior coisa que pode acontecer com alguém te acontecerá, pode crer: atendentes de telefonias, TV a cabo, empresa de luz e talvez até de empresa de limpeza te pedirão para anotar protocolos. Todos com 55 números, que elas vão falar muito rápido, para perturbar mais ainda sua cabeça. E, claro, você não vai ter sequer uma agenda na mão para anotar. Para conseguir ser feliz e encontrar seu novo lugar no mundo, prepare-se para fingir que anotou tudo, dizendo UHUM depois de cada número, pedindo para ela repetir os dois últimos, enquanto checa o Facebook. Porque a verdade é que ninguém anota esses números inúteis.

Orçamento, seu novo melhor amigo

Se quer mudar, aprenda a orçar. A sua realidade agora é essa. Orçar aluguel e fazer proposta para todos. Orçar pintura, faxina, eletricista, carreto, sofá, mesa, TV moderna, saboneteira, portãozinho para o cachorro na área de serviço… Não existe mudar sem orçar. Digo isto porque sempre tive preguiça, mas depois que entrei nesse rolê da galera que orça, consegui um desconto de 300 reais em uma empresa de limpeza pré mudança (viu como gosto de usar esse termo? É que aprendi essa semana).

Fazer a maldita

Para vencer na vida no seu novo apê, você tem que ser mais do que uma simples “faca na bota”, tem que ser maldita! Tem que colocar um pintor contra o outro, dizendo “O Seu Custodio orçou em 2 mil tudo, Raimundo…”. Tem que fazer empresas serem inimigas: “Olha adoraria fechar com vocês, mas a Masquelimpo me cobrou a metade do preço e eles têm agenda pra amanhã”. Tem que mendigar para corretores, sem dó, só na barganha, mandar proposta, ficar firme nela, pechinchar cinqüenta reais a menos, não arredar o pé. Boazinha só se dá mal nessa hora, infelizmente. E só vão abaixar os preços se você enlouquecer a cabeça deles, igual fizeram com você deixando recados na caixa postal e dizendo números de protocolo. Socorro!
Por último, reserve pelo menos um fim de semana inteiro para arrumar as suas coisas. A depressão por ter tanta tralha vai ser forte e você precisará de muito tempo para entender por que comprou tanta latinha de guardar nada e DVDs que nunca assistiu.

E boa sorte na nova casa : )

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s